Continua após a publicidade..

A NASA acredita que os oceanos estão contribuindo para a produção de oxigênio no mundo. Veja os detalhes.

A agência espacial NASA tem a teoria de que a lua gelada Europa contém um oceano extenso e profundo, que pode alcançar entre 60 a 150 quilômetros de profundidade.

Novas descobertas do projeto Juno da agência espacial indicam que existem processos na superfície de Europa que geram quantidades significativas de oxigênio, parte do qual é transportado para o vasto oceano do satélite. Embora não seja tanto oxigênio como se pensava anteriormente, ainda assim é um achado significativo.

Segundo a NASA, a Lua de Júpiter, que está coberta de gelo, produz 1.000 toneladas de oxigênio diariamente, o que é o bastante para fornecer ar respirável a um milhão de pessoas durante um dia.

Continua após a publicidade..

Europa, uma das luas de Júpiter, é um corpo celeste um pouco menor que a nossa lua, e está localizada a aproximadamente 480 milhões de milhas além da Terra. Sua órbita ocorre em uma região cheia de radiação intensa proveniente do campo magnético de Júpiter. Como consequência, partículas energizadas, conhecidas como “íons”, atingem a superfície de Europa, fazendo com que as moléculas de água se dividam em hidrogênio e oxigênio.

A Europa está gradualmente perdendo sua água em um fluxo, comparável a uma bola de gelo derretendo lentamente. O cientista Jamey Szalay, da Universidade de Princeton, que liderou a nova pesquisa publicada na revista Nature Astronomy, explicou que esse fluxo consiste em partículas ionizadas sendo movimentadas ao redor de Júpiter devido ao seu campo magnético excepcional. Szalay está envolvido no desenvolvimento de um dos instrumentos da sonda Juno, chamado Jovian Auroral Distributions Experiment, ou JADE.

Quando a sonda Juno se aproximou a apenas 220 milhas de Europa em setembro de 2022, o instrumento JADE conseguiu detectar com sucesso a presença de oxigênio e hidrogênio resultantes das partículas que atingem a lua. As medições revelam que essa atividade produz cerca de 26 libras (12 quilogramas) de oxigênio por segundo.

Relacionado:   Starlink de Elon Musk vai oferecer conectividade à Internet para ônibus escolares no Irã e nos Estados Unidos.
Continua após a publicidade..

“De acordo com a NASA, os pesquisadores acreditam que parte do oxigênio gerado dessa forma poderia se dirigir para as camadas mais profundas da Lua, onde poderia ser utilizado como uma potencial fonte de energia para processos metabólicos.”

  • A sonda da NASA está acelerando cada vez mais.
  • Por que é tão difícil pousar uma nave espacial na lua.
  • Em breve teremos o fascinante evento astronômico do eclipse solar. Recebemos orientações de um especialista sobre como observá-lo.
  • Rover da NASA descobre helicóptero avariado no meio do deserto de Marte.
  • Se um asteroide ameaçador se aproximar da Terra, estas são as maneiras de identificar o perigo.
A graphic showing how charged particles from Jupiter can create oxygen on Europa
Imagem: timmossholder/Burst

A vida floresce nos oceanos salgados do planeta Terra. Embora não haja comprovação de vida em Europa, essa lua poderia conter ambientes propícios para a existência de vida, tornando-se um potencial mundo habitável no espaço.

“De acordo com Scott Bolton, o líder da missão Juno, este é um dos raros locais que apresentam as condições ideais para ser habitado.”

Continua após a publicidade..

A NASA está muito interessada nesta lua gelada e planeja enviar uma sonda chamada Europa Clipper em outubro de 2024. A espaçonave, do tamanho de um campo de basquete, realizará cerca de 50 sobrevoos no distante mundo joviano, investigando se poderia sustentar condições adequadas para a existência de vida. A chegada da sonda está prevista para 2030.

Agência Espacial Americana