Continua após a publicidade..

A narrativa sobre a inteligência artificial da parceria entre HPE e Juniper é impactante, no entanto, as preocupações dos clientes persistem.

A proposta de aquisição da HPE de US$ 14 bilhões da empresa de redes Juniper deixou os clientes dessa última um pouco preocupados e pode mudar a competição na indústria de networking.

Devido à semelhança significativa dos produtos nos portfólios da Juniper e HPE Aruba, os clientes estão apreensivos com a possibilidade de algumas linhas de produtos serem combinadas ou removidas. Além disso, há o risco de conflitos no canal de distribuição. Quando ocorre uma aquisição tão grande, os clientes ficam preocupados com o impacto das mudanças no planejamento de produtos, nas equipes de vendas e no suporte.

Após a conclusão do acordo, prevista para ocorrer não antes de 2025, é possível que ocorram mudanças significativas na estrutura do mercado de redes. Empresas concorrentes, como Extreme e Arista, provavelmente buscarão uma maior parcela do mercado de alternativas à Cisco. Além disso, a fusão entre HPE e Juniper poderia gerar uma forte concorrência para a Cisco, que há décadas tem sido dominante no setor de redes.

Continua após a publicidade..

Table of Contents

Preocupações do consumidor

Em comparação com a compra da VMware pela Broadcom, que levou os analistas a sugerirem que os clientes procurassem alternativas, os analistas observam que tanto a HPE quanto a Juniper estão agindo de forma preventiva para atender às preocupações dos clientes.

“De acordo com Zeus Kerravala, um analista líder da ZK Research, ao conversar com clientes da Juniper, foi observado uma grande inquietação inicial. As principais questões levantadas foram sobre a sobrevivência dos produtos, a composição do portfólio após a fusão e até mesmo preocupações a nível de engenharia.”

Continua após a publicidade..

Kerravala ficou surpreso com a rapidez com que as duas empresas se comunicaram com os clientes e afirmou que não há planos imediatos para descontinuar produtos. Ele teve uma conversa direta com Phil Mottram, vice-presidente executivo da HPE e gerente geral da divisão Aruba, e ficou convencido de que, caso decidam eliminar um produto redundante, os clientes serão informados com bastante antecedência. Kerravala mencionou que a HPE geralmente avisa os clientes com cinco anos de antecedência sobre o fim da vida de um produto, o que tranquilizou os clientes.

Sian Morgan, diretor de pesquisa do grupo Dell’Oro, menciona que é normal que os clientes tenham preocupações. Empresas e parceiros de canal OEM estão apreensivos sobre como a aquisição irá impactar suas linhas de produtos. Devido à significativa sobreposição em certas áreas (como LAN sem fio), é esperado que haja uma racionalização dos produtos. Essa incerteza de quais produtos permanecerão inalterados, quais poderão sofrer alterações – ou pior, quais podem ser descontinuados – está deixando os clientes apreensivos.

Relacionado:   Estudo mostra que os investimentos em SD-WAN e SASE superam os investimentos em MPLS.

Os líderes da HPE asseguraram que todas as funcionalidades permanecerão em conjunto, porém é compreensível que as organizações estejam apreensivas quanto à durabilidade dos equipamentos e programas que incorporaram em suas redes.

Qual é a localização da sobreposição?

Continua após a publicidade..

Apesar das garantias mencionadas, uma análise minuciosa dos dados não é favorável para muitos dos produtos da Juniper. Embora a empresa exista há muito tempo (desde 1996) e tenha se destacado como uma alternativa para clientes que não desejam depender apenas da Cisco, a HPE possui uma fatia de mercado consideravelmente maior.

De acordo com os dados fornecidos pela Dell’Oro e pelo relatório da Gartner, a Cisco detém a maior parte do mercado global de redes corporativas, com 43%, seguida pela HPE com 6% e a Juniper com apenas 3%. O relatório da Gartner também prevê que a receita da Cisco em redes corporativas atingirá US$ 24,1 bilhões em 2022, enquanto a HPE alcançará US$ 3,7 bilhões e a Juniper US$ 2,1 bilhões.

Segundo dados do Dell’Oro Group, a HPE ocupa a segunda posição em participação de mercado de WLAN, enquanto a Juniper está em sétimo lugar. A HPE é a terceira no segmento de campus, enquanto a Juniper está em quinto. Em relação ao roteamento empresarial, a HPE é a sexta colocada, enquanto a Juniper está em décimo segundo. Além disso, a receita do SASE da HPE é quase quatro vezes maior do que a da Juniper.

Continua após a publicidade..

De acordo com a Dell’Oro, Juniper tem uma presença de mercado superior à da HPE somente em switches de data center corporativos e em segurança de rede, em áreas específicas de sobreposição.

Para tornar a situação mais complexa, a HPE possui produtos exclusivos, como o 5G privado, que não estão disponíveis na Juniper. Por outro lado, a Juniper oferece roteadores para provedores de serviços e firewalls de última geração.

Segundo Will Townsend, principal analista da Moor Insights e Strategy, há uma considerável similaridade entre a rede HPE Aruba e os produtos de rede da Juniper. Ele destaca a necessidade de reorganização dos planos de desenvolvimento, o que provavelmente resultará na descontinuação de algumas soluções.

O analista Forrest Andre Kindness sugere que a entidade resultante terá uma ampla gama de produtos de acesso sem fio, juntamente com sistemas redundantes de roteamento e comutação, e plataformas de gerenciamento. Ele prevê que, eventualmente, esses produtos terão que ser integrados.

Trata-se totalmente de Inteligência Artificial.

Qual é a principal aquisição da HPE? A resposta é clara: a tecnologia de inteligência artificial que a Juniper adquiriu ao comprar a Mist Systems em 2019 e incorporou em sua linha de produtos.

Relacionado:   Conheça os diferentes perfis de cientistas de dados e descubra qual é o seu lugar nessa área em expansão

Todas as declarações públicas de Antonio Neri, CEO da HPE, acerca da compra da Juniper, enfatizaram a importância da inteligência artificial. Ao anunciar o acordo em janeiro, ele mencionou que a transação irá reforçar a posição da HPE na aceleração das tendências de macro-AI, ampliar o mercado total e promover a inovação para os clientes ao facilitar a integração entre os ambientes nativos e de nuvem com a inteligência artificial.

Durante uma recente conferência de resultados trimestrais com analistas financeiros, Neri afirmou que unir nossas coleções de produtos complementares impulsionará a estratégia completa da HPE, acelerando todo o nosso portfólio com inovação impulsionada pela inteligência artificial.

De acordo com a gentileza, Marvis de Juniper, a assistente de rede virtual com tecnologia de inteligência artificial, é considerada a solução mais avançada em IA no setor de redes, com uma vantagem estimada de dois anos em relação aos concorrentes.

E Townsend observa que a Hewlett Packard Enterprise (HPE) necessita de uma inteligência artificial mais avançada para se manter competitiva. O Juniper poderia atender a essa demanda.

A transformação da paisagem.

Pode ser que não seja por acaso que a Neri da HPE deixou a empresa e assumiu um cargo na Juniper logo após a Cisco ter adquirido a Splunk, uma grande empresa.

O CEO Chuck Robbins afirma que a parceria com a Splunk possibilita à Cisco transformar a maneira como seus clientes utilizam os dados para conectar e proteger todos os setores de suas organizações, ao mesmo tempo em que apoiam e protegem a revolução da inteligência artificial.

Neri está desafiando a ideia de que uma pilha consolidada Juniper/HPE, com componentes importantes como a interconexão Slingshot da HPE, pode rivalizar com a Cisco em todos os aspectos.

Na realidade, ao adquirir a Juniper, a HPE se transforma em uma empresa de tecnologia de rede, com essa área representando 31% da receita total e se tornando a divisão mais proeminente da HPE. Além disso, essa divisão contribuirá com 56% do lucro operacional, refletindo as margens mais elevadas associadas aos produtos de rede, conforme destacado por Morgan.

Isso é especialmente importante considerando que a HPE tem enfrentado desafios para aumentar a receita de servidores e armazenamento. Em seu mais recente relatório financeiro, a receita total diminuiu 14% em relação ao ano anterior, e a empresa previu para Wall Street que as receitas de 2024 variariam entre a estagnação e um aumento de 2%. Por outro lado, a Juniper também não está tendo um desempenho financeiro excepcional – seu último relatório de ganhos mostrou uma diminuição de 6% na receita trimestral em relação ao ano anterior.

Relacionado:   Threads necessita que o usuário gere um texto alternativo com urgência.

Apesar da coragem de Neri em desafiar a Cisco, competir de igual para igual com ela é uma missão difícil devido à vantagem inicial que a Cisco possui. Morgan destaca que mesmo que a fusão entre HPE e Juniper conseguisse manter todas as suas receitas de redes corporativas sem perder clientes para a Cisco, ainda representaria menos de um quarto da participação de mercado da Cisco.

Segundo Kerravala, dentro do setor de redes, Arista e Extreme têm maiores oportunidades de sucesso. Arista se destacou como uma opção premium em relação à Cisco e está expandindo sua presença em mercados mais acessíveis. Enquanto isso, a Extreme tem conseguido integrar com êxito as empresas Avaya, Brocade e Aerohive que adquiriu, e está em ótima posição para competir no mercado devido à qualidade de seus produtos.

A gentileza também reconhece que a Arista se beneficiará, destacando que a empresa se destacará com sua “abordagem de rede clara e concisa”.

Analisando de uma perspectiva diferente, a compra da Juniper reflete a trajetória da HPE no mercado de redes, já que concorre com a Dell por clientes que buscam uma solução abrangente que inclui ASICs, networking, hardware de computação, software, IA e serviços. Segundo Morgan, a HPE atualmente possui uma vantagem significativa sobre a Dell, principal concorrente em computação e serviços, que tem enfrentado desafios na área de networking.

Townsend destaca que a compra também proporciona à HPE uma vantagem competitiva mais forte contra a Dell nos segmentos de serviços e infraestrutura de telecomunicações, sobretudo junto aos provedores de rede móvel.

Assim como em qualquer aquisição de grande porte, o mais importante é a forma como é executada. A Cisco tem um histórico melhor do que a HPE nesse quesito, embora a aquisição recente da Aruba pela HPE tenha sido considerada um sucesso.

“Segundo Kindness, o sucesso da aquisição dependerá da capacidade da HPE de integrar rapidamente e de forma eficaz a Juniper. Há diversos aspectos a serem considerados, como a revisão do portfólio de produtos, a retenção de talentos e a reformulação do programa de canais. No entanto, se a HPE conseguir realizar essas ações com êxito, poderá aumentar sua participação no mercado de redes corporativas e reforçar sua competitividade no setor de serviços de comunicação.”

Morgan resumiu da seguinte maneira: “O desafio real é se as empresas conseguem aproveitar as capacidades de inteligência artificial da Juniper e os canais bem estabelecidos da HPE para conquistar novos clientes. Se a empresa resultante for capaz de fazer isso, poderá se tornar uma ameaça para a Cisco a longo prazo, apesar da forte liderança da Cisco”.