Continua após a publicidade..

Um software chamado Ashley está prejudicando listas de reprodução no Spotify.

O mais novo antagonista da internet surgiu e não se trata de uma pessoa extremamente rica do mundo dos negócios, um político influente, ou um provocador do Twitter, mas sim de um robô do Spotify que não atende pelo nome de Ashley.

Diversos usuários expressaram insatisfação com o fato de que suas listas de reprodução públicas e colaborativas, criadas para que eles e seus amigos do Spotify pudessem adicionar músicas em conjunto, foram manipuladas por bots que se faziam passar por usuários reais, com destaque para uma conta chamada apenas “Ashley”.

Os comportamentos intrusivos e prejudiciais à atmosfera geral de Ashley e outros bots levaram os usuários a se tornarem verdadeiros investigadores, como é o caso do TikTokker e músico @jw_francis. Francis inicialmente destacou o bot em um vídeo sobre playlists divertidas que incluem suas próprias músicas, uma delas sendo reproduzida pelo famoso Ashley.

Continua após a publicidade..

As respostas que TikTok o incentivou a procurar mais, compartilhando um vídeo que destaca várias vítimas de Ashley e outros bots mencionados, como “Emma” e “Elsie”. Os usuários parecem tentar evitar os bots adicionando mensagens em títulos de playlists, como por exemplo, “PARA DE ADICIONAR MÚSICAS ASHLEY, QUEM DIABOS VOCÊ PENSA QUE É, CAIA FORA”.

Os comentários sobre o vídeo mais recente parecem conter muitas pessoas afetadas por Ashley. Um usuário chamado @hey_bro_wheres_my_sheep afirmou que Ashley é como um vírus que ele pegou de uma lista de reprodução de trabalho, que por sua vez foi obtida de um colega, o que é inacreditável.

“Minha lista de reprodução em grupo foi alvo de uma ação indesejada e todas as músicas foram removidas, o que me fez sentir invadido”, relatou o usuário @bbnaluu.

Relacionado:   Vamos encarar a realidade, é provável que alguma variante do Dynamic Island esteja chegando aos dispositivos Android.
Continua após a publicidade..

Outro motivo para não usar o Spotify é que ele viola a privacidade, conforme mencionado por @acidrefluxburps.

A Spotify playlist titled, "Fuck you ashley stop adding songs"
Imagem: GernotBra/GettyImages
A Spotify playlist titled, "Ashley stop adding songs to my playlist"
Imagem: TomasHa73/KaboomPics
A Spotify playlist titled "Emma stop adding songs"
Imagem: JonPauling/PixaBay
A Spotify playlist titled "Stop adding shit music to my playlist
Imagem: timmossholder/Flickr

No TikTok, Francis sugere que esses bots são perfis promocionais criados com o objetivo de aumentar as estatísticas de reprodução de músicas de um único artista, incluindo-os em várias playlists públicas. Esta é uma estratégia que já foi utilizada por artistas e grupos de fãs no passado. Francis descobriu que o bot Ashley estava focando apenas na música de uma conta do Spotify chamada Pesukone. De acordo com a página do Instagram de Pesukone, trata-se de um coletivo finlandês que se dedica a promover músicos desconhecidos (inclusive bots, aparentemente).

Alguns dos usuários do TikTok observaram que outros bots estão promovendo artistas individuais, como o usuário @middleghostie. Alguns comentaristas mencionaram que foram interagidos por um bot que promovia um artista e comentaram que o artista não era tão ruim quanto parecia. Outros usuários mencionaram nomes como Jeni, Olivia, Claudia, Julia e Lily, indicando que diversas contas falsas estão perturbando a playlist com músicas de artistas externos. No final do TikTok, Francisco questionou por que todos esses bots são mulheres, mas não obteve respostas.

Continua após a publicidade..

No Reddit, os usuários têm discutido sobre o Ashley do Spotify e mencionado bots mais óbvios, bem como gêneros musicais que têm prejudicado o ambiente de playlists próximas e distantes, como “SongSuggestor(beta)” e “Picked Tracks”.

Eles solicitaram assistência para deter as invasões, com alguns recorrendo à Comunidade Spotify em busca de ajuda. Infelizmente, a essência das respostas parece ser simples: “No momento, não podemos ajudar com isso.” Em resposta a uma solicitação de junho de 2021 para restringir bots que adicionam músicas, um moderador da Comunidade Spotify explicou que o problema não poderia ser resolvido com as configurações atuais — é impossível bloquear um usuário individual de editar uma lista de reprodução e playlists colaborativas não possuem a opção “somente convidados”. Em vez disso, sugeriram que as vítimas dos bots apoiassem uma proposta de alteração em futuras atualizações do Spotify que permitiriam aos criadores de playlist alterar as permissões de edição em playlists colaborativas.

Relacionado:   O Museu de História de Lyon e a importância da representatividade na sociedade

Atualmente, a única maneira de lidar com o problema de Ashley é excluir manualmente cada música adicionada, bloquear o bot (fazendo isso através do perfil, clicando nos três pontos no topo da página e selecionando “bloquear”), ou desativar as configurações públicas em suas playlists. E esperamos que Ashley não volte a incomodar você.

Continua após a publicidade..

Paráfrase: Quando permitimos que nossas listas de reprodução públicas sejam acessadas por outros ou confiamos em seleções aleatórias de bots, quem poderá proteger nossa privacidade? Serão nossas listas de reprodução sempre vulneráveis a invasões desse tipo? O Spotify terá capacidade para nos proteger, mesmo lidando com seus próprios problemas de transmissão de músicas? Apenas o tempo revelará a resposta.

Mashable estreou no Spotify para fornecer comentários e fará as devidas atualizações neste artigo caso haja uma resposta.

Canção