Continua após a publicidade..

A Uber sofreu um vazamento de informações e a extensão do dano ainda não está clara.

A Uber enfrentou um grande vazamento de informações, conforme noticiado pelo New York Times. A empresa de compartilhamento de caronas desligou diversos de seus sistemas internos na quinta-feira para investigar os prejuízos.

No momento, não há um número exato de indivíduos afetados pelo incidente de segurança, tanto clientes quanto funcionários, nem quais dados específicos foram comprometidos. No entanto, a recomendação dada à Uber foi que seus funcionários evitem o uso do Slack da empresa e desativem certos sistemas de engenharia.

Em uma declaração para a Mashable, a Uber admitiu que está lidando com um incidente de segurança cibernética e comunicou-se com as autoridades, mas optou por não dar mais detalhes no momento.

Continua após a publicidade..

Não se sabe por quanto tempo a rede de computadores da Uber foi acessada sem autorização. A empresa só tomou conhecimento da violação de segurança na quinta-feira à tarde, quando os funcionários foram informados pelo hacker responsável. Caso não tivessem sido alertados, a invasão poderia ter passado despercebida.

“Eu comunico que sou um hacker e houve uma falha de segurança nos dados do Uber”, foi o que o hacker declarou em uma mensagem enviada por meio da conta Slack de um funcionário que foi comprometida.

A mensagem continha uma relação de bancos de dados internos que o invasor informou ter entrado, sendo que algumas de suas declarações foram confirmadas por meio de uma imagem explícita supostamente deixada em uma página de dados do funcionário interno.

Continua após a publicidade..

As quebras de segurança de dados são frequentes em nosso mundo cada vez mais digital, com novas sendo divulgadas praticamente toda semana. Portanto, a forma como as empresas lidam com essas violações é de extrema importância, e a Uber não teve um desempenho exemplar nesse sentido.

  • Uber expôs dados de 57 milhões de indivíduos e depois tentou esconder o ocorrido.
  • Uber informa que 1,2 milhões de usuários foram impactados pelo ataque hacker em apenas um país.
  • Um ex-executivo que trabalhou na Uber no passado pode ser preso, mas não por questões relacionadas aos motoristas.
  • Clientes da Samsung podem ter sido vítimas de uma violação de dados.
  • Uber flexibiliza exigências de uso de máscara em algumas cidades, como Nova York e Washington D.C.
Relacionado:   O BackBox melhora a plataforma de automação ao adicionar funcionalidades de controle de configuração.

Em 2016, a Uber sofreu uma grande violação de dados que afetou 57 milhões de pessoas em todo o mundo. Em vez de revelar imediatamente o incidente, a empresa optou por encobri-lo, pagando $100.000 aos hackers para que apagassem os dados comprometidos. O ex-oficial de segurança da Uber, Joe Sullivan, foi demitido por causa desse incidente e está enfrentando acusações criminais, com esses detalhes sendo divulgados apenas devido a obrigações legais.

A liderança da Uber passou por mudanças importantes desde o incidente, com a chegada do CEO Dara Khosrowshahi em 2017, sucedendo Travis Kalanick. É esperado que, somado às lições de 2016, isso tenha aprimorado a postura de segurança da empresa.

Continua após a publicidade..

Serviço de transporte Uber