Continua após a publicidade..

Um cometa tem a possibilidade de aparecer inesperadamente durante o eclipse solar. Saiba onde observar.

Os entusiastas do eclipse solar também procurarão observar outras características além da corona quando a lua cobrir totalmente o sol em algumas áreas da América do Norte no mês que vem.

Durante o eclipse solar total em 8 de abril, os observadores terão a oportunidade de avistar um cometa a olho nu ou com um par comum de binóculos.

O Cometa 12/P Pons-Brooks, que retorna ao sistema solar interno a cada 71 anos, terá sua maior aproximação com o sol apenas duas semanas após o eclipse em 21 de abril. Sua visita coincidirá com o crepúsculo temporário resultante do bloqueio solar. A questão chave será se o cometa, descrito como uma bola de neve espacial, passará por uma súbita explosão conhecida como “explosão diária” pouco antes, conforme explicou Tony Farnham, um astrônomo especializado em cometas da Universidade de Maryland.

Continua após a publicidade..

Segundo Farnham Mashable, a intensidade do brilho desse cometa está no limite do que a maioria das pessoas consegue perceber, e isso ocorre em um cenário de escuridão no céu. Ele também destaca que esse cometa tem um histórico de explosões, algumas das quais foram significativas.

Durante o eclipse, a lua projetará sua sombra em toda a extensão do continente, iniciando na costa oeste do México às 11:07 da manhã, horário do Pacífico, conforme informado pela NASA. A sombra se estenderá do Texas ao Maine, passando pelo Canadá por Ontário e terminando na costa atlântica de Terra Nova às 5:16 da tarde. As principais cidades dos EUA ao longo dessa rota, conhecida como o “caminho da totalidade”, incluirão Dallas, Indianápolis e Cleveland.

A totalidade oferece uma oportunidade única para os habitantes observarem a corona brilhante do sol, que normalmente é obscurecida pela intensa luminosidade da superfície solar. O período máximo de visualização durará cerca de quatro minutos e 28 segundos para as muitas pessoas que o testemunharão no trajeto da sombra.

Relacionado:   De que maneira o eclipse solar de 2024 se distinguirá do anterior?
Continua após a publicidade..

Cometas são fenômenos astronômicos impressionantes à vista. São grandes esferas compostas por gelo, poeira e rocha, que se originaram nas regiões mais distantes do sistema solar, remanescentes dos primórdios da formação do planeta há aproximadamente 4,6 bilhões de anos. Quando se aproximam do sol, o gelo dos cometas começa a se desintegrar, passando rapidamente do estado sólido para o gasoso, sem se tornar líquido. Esse processo resulta na formação de suas características caudas, compostas por trilhas de detritos formadas a partir da vaporização de milhões de toneladas de material.

Centenas de anos atrás, os cometas eram vistos como sinais negativos, mas atualmente os cientistas os veem como remanescentes antigos do sistema solar. Alguns especialistas acreditam que os cometas podem ter transportado água e compostos orgânicos essenciais para a vida primitiva na Terra.

Comet Pons-Brooks showing off its huge tail
Imagem: TomasHa73/GettyImages

Nos meses que antecederam 8 de abril, Michael Zeiler, o cartógrafo do eclipse, já estava antecipando e planejando cuidadosamente os seus valiosos 4,5 minutos de totalidade.

Continua após a publicidade..

Ele afirmou que buscaria o cometa, porém não dedicaria mais de 10 segundos nessa tarefa.

Este enorme cometa, que pode ter um núcleo de até 21 milhas de diâmetro, foi descrito como semelhante à nave Millennium Falcon de Star Wars ou a um diabo de chifres devido à sua forma incomum. Os especialistas ainda não conseguem explicar completamente o que está causando essa distorção em torno de seu núcleo, conhecida como coma, que é uma nuvem de gás. A última vez que o cometa Pons-Brooks, recentemente apelidado de “cometa demoníaca”, foi avistado foi em 1954.

Comet Pons-Brooks blasting through space
Imagem: astrovariable/ShutterStock

Como localizar o Cometa Pons-Brooks durante o fenômeno do eclipse.

Continua após a publicidade..

Recentemente, o cometa era visível na galáxia de Andromeda à noite. No entanto, durante o eclipse, ele deve estar próximo de Júpiter.

Relacionado:   Airbnb decidiu interromper todas as suas atividades na Rússia e na Bielorrússia.

Para encontrar o cometa, Farnham sugere observar à esquerda do sol durante um eclipse total. A uma distância de uma mão estará Júpiter, que se assemelhará a uma estrela brilhante. Utilizando Júpiter como guia, é possível localizar o cometa nas proximidades ao explorar a área com binóculos.

“Se observares aquela área residencial e notares algo desorganizado, é o cometa”, afirmou ele.

É seguro observar um eclipse solar com binóculos normais somente quando o sol estiver completamente encoberto, mas não durante um eclipse parcial, mesmo que apenas a borda esteja visível. A luz solar direta pode causar danos às partes ópticas de câmeras, binóculos ou telescópios, incluindo os filtros de vidro protetores do eclipse solar, se forem usados enquanto se olha através desses dispositivos.

  • O significado dos cometas é revelado: são bolas de neve espaciais com segredos em sua essência.
  • Qual é a questão relacionada aos eclipses solares? Trata-se de uma experiência completa para o corpo.
  • O astronauta da NASA presenciou um eclipse do espaço que não era de origem natural.
  • Essa famosa meme de Trump pode proteger seus olhos durante o eclipse solar.
  • De acordo com especialistas, os eclipses solares costumavam ser considerados eventos muito assustadores.
People watching for Comet NEOWISE
Imagem: JonPauling/FreeImages

Os astrônomos estão moderando as esperanças das pessoas em relação à visualização dos Pons-Brooks. Nalin Samarasinha, um cientista especializado em cometas do Instituto de Ciência Planetária, explicou que a magnitude máxima do Cometa de Halley em 1986 foi semelhante à prevista para o cometa em 8 de abril. Ele mencionou que não conseguiu ver o Cometa de Halley a olho nu em um céu pré-amanhecer, condição de iluminação semelhante a um eclipse total.

“Tenho sérias dúvidas de que será visível a olho nu (pelo menos não com a minha visão)”, ele expressou em uma mensagem de e-mail.

Relacionado:   A nave espacial Marte revela a magnífica vista dos vulcões marcianos - e uma descoberta inesperada.

Porém, se alguém pretende fotografar durante o momento de totalidade, Samarasinha recomendou experimentar exposições prolongadas com uma câmera grande angular, já que isso pode resultar em uma imagem fraca, especialmente se a luz for intensa.

The moon blotting out the sun
Imagem: driles/UnPlash

Qual é a origem de uma explosão de cometa?

Os cientistas ainda não compreendem completamente o motivo das explosões em cometas, mas uma teoria sugere que as ondas de calor do sol podem penetrar em fissuras ou bolsões no núcleo do cometa, levando à vaporização de gases voláteis e resultando em uma explosão de energia. Outra possibilidade é que, conforme o cometa evolui, uma saliência ou escarpa pode surgir no núcleo, expondo material fresco que se torna ativo.

A constante evolução da dinâmica foi o motivo que levou Farnham a se interessar inicialmente pelos cometas, pois eles são repletos de imprevisibilidades. Ele pretende se deslocar até o Texas Central para observar o eclipse e também dar uma olhada em Pons-Brooks.

Ele mencionou que é positivo visualizar algo, porém ressaltou que o foco principal é o eclipse, mesmo que não seja possível vê-lo.

Este conto foi primeiramente divulgado em 9 de março de 2024 e sofreu atualizações.

Assuntos da NASA.